terça-feira, 5 de maio de 2009

Lei Maria da Penha.

-Doutora, posso falar com a senhora, por favor?
-Gabriela.
-Hã?
-Sem doutora e sem senhora.
-Aaaah...he...tá bom.
-Pode falar.
-Sim, é assim sabe? Eu tenho um companheiro de mais de dez anos e ontem ele me bateu. Coisinha pouca, puxou o cabelo, apertou o braço, mas nem deixou marca nem nada.
-...
-Não é a primeira vez e eu não quero que ele vá preso, mas quero que ele saia de casa, e ele não sai.
-...
-Aí, se eu “botar” ele na “Maria da Penha”, tenho que esperar que ele vá preso ou o juiz manda ele sair de casa agora mesmo?
-Eh...
-É Dout...Gabriela...é difícil na terra do “um salário mínimo quando muito”, um sofrimento.
-Eh...
-Acho que eu vou tentar “cunversá” com ele denovo. Obrigada, viu? Tchau.
-...

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home