sábado, 31 de outubro de 2009

O filme da vida.

Lindo aquele filme sobre a vida daquela pessoa, com todas as realizações, desesperos, amores, loucuras, explosões, culpas, brigas, alegrias e equívocos que ela já viveu.

Você se emociona e chora. Deixa a angústia e a raiva tomar conta de si e odeia, junto com ela.

Quantas coisas emocionantes quando a vida de alguém é retratada em menos de duas horas, com o requinte de um bom diretor, que organiza, capítulo a capítulo a estória daquele personagem, para que prenda a atenção e extraia sorrisos e lágrimas. Ainda mais numa tela gigante, que faz com que a vida de quem assiste fique bem pequenina.

Por mais que o parto tenha sido bem parecido com o seu, que a doença seja tão dolorosa quanto a sua e o pedido de casamento tenha sido até menos romântico.

E aí você sai do cinema pensando no quanto seria legal a sua vida se acontecessem tantas coisas estarrecedoras e extasiantes diariamente, e esquece que sim, elas acontecem, só que você está distraído demais ou apressado demais para dedicar-lhes a devida atenção.

Essa é a única diferença entre o que se presencia com um bom saquinho de pipocas na mão e o que é simplesmente vivido.

1 Comments:

Blogger Patrícia Félix said...

Excelente texto. Concordo.

10/31/2009 12:16 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home