quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Expectativas.

Alguma dúvida de que as expectativas são uma doença da mente feminina?

Sempre odiei essa coisa de “nós mulheres, enquanto vocês homens”, mas não posso deixar de estabelecer essa crucial diferença entre os gêneros, na hora de raciocinar os relacionamentos afetivos.

Somos sim, capazes de conviver com um homem pouco afetuoso, ou até com as ausências, e com a falta de iniciativa de “subir um degrau mais na relação”. Somos sim, bastante pacientes, ao contrário do que eles pensam ou até do que nós mesmas pensamos em determinados momentos.

O que não suportamos é a descontrução dolorosa da imagem de homem maravilhoso que fizemos do ser em questão. E de todos os planos que vieram de brinde, agarrados na criatura perfeita.

E aí, óbvio, com a convivência, o querido, incapaz de adivinhar os nossos sonhos da noite passada, e, vamos combinar, pouquíssimo interessado em investigar, acaba por desmontar o nosso castelinho de areia.

Às vezes nos acostumamos e esperamos pelo futuro, quando nossas filhas irão dizer: -Mãããe, ele marcou e não veio, ele se acomodou. Ele não me diz que sou importante, ele esqueceu o nosso aniversário de namoro.

Nesse momento você pode falar, com o peito cheio de sabedoria acumulada: - Ahhh, filha, seu pai também era assim, não adianta trocar que são todos iguais. Não espere nada deles.

Ou então ficar como muitas de nós: eternamente sonhando, esperando, e “expectativando”.

Marcadores: , ,

1 Comments:

Blogger d meira said...

expectativa de azevedo meira, a seu dispor.

2/25/2009 10:18 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home